sábado, 24 de junho de 2017

Curso de Escultura em Madeira



O conteúdo técnico relativo à escultura em madeira é bem amplo, assim será dividido em 3 módulos dados em 3 cursos. São eles, módulo inicial, intermediário e avançado e serão oferecidos nesta ordem respectivamente.

O módulo inicial, do qual trata-se esse curso, será ministrado em um final de semana, 28, 29 e 30 de JULHO . Início na sexta feira às 18 hrs até às 22 hrs para elucidar conceitos teóricos, no sábado e domingo a partir das 8 da manhã até o fechamento das 8 horas diárias com intervalos pré combinados com a turma. 

Nessa modalidade você vai aprender o conteúdo básico da técnica possibilitando-o assim a desenvolver trabalhos próprios sem restrições à estilística ou modalidade de trabalhos com madeira.
Esse conteúdo se resume em:
- A madeira como material:
História, O que é a madeira; partes da madeira; tipos de madeira; comportamento da madeira em relação ao clima; montagem de blocos pelo sistema de colagem respeitando a dinâmica da madeira.
- Instrumental e ferramentas: Ferramentas manuais básicas; ferramentas elétricas; afiação das ferramentas manuais adequada à etapa do trabalho e ao tipo de madeira; proteção e EPI; ferramentas para acabamento.
- Projetos: Projeto 2D; projeto 3D e formas de transpasso; Adequação do projeto.
- Etapas da escultura: Silhuetado manual e industrial; desbaste e modelação; relação sentido do corte em respeito à fibra; imprevistos e suas correções.

Os três primeiros tópicos serão abordados na aula teórica e exercitados na parte prática do curso.

O material estará incluso, ferramentas e EPI. 

Existe ainda duas possibilidade em relação aos valores: R$800,00 com material incluso e R$1000,00 que dará direito a levar as ferramentas e EPI, São duas goivas e duas retas mais um maço de madeira (foto anexo) possibilitando o aprendiz a desenvolver seus próprios trabalhos a partir do que aprendeu no módulo inicial. 

A vaga fica garantida mediante depósito de 50% do valor sendo o restante quitado no término do mesmo com emissão de certificado. 

Os dados para depósito são: 
Caixa Econômica Federal - Agência 0151 
conta poupança 013 00154152-1 
Favorecido: Carlos H. Calsavara. CPF 01464171602
Devo lembrar que os ensinamentos tem ênfase na parte técnica afim de ensinar como lidar com as ferramentas de corte diante da madeira. Teremos um exercício prático individual de talha que SERÁ FEITO POR TODOS com supervisão e auxílio do artista. 

Obviamente quem já tem noção e experiência escultórica ou mesmo em desenho terá mais facilidade do que quem nunca esculpiu ou modelou antes, afinal, como tudo nesse mundo essa também é uma questão de exercício e prática, impossível porém sem a técnica inicial básica.
O curso será oferecido no atelier do artista Rua Getulio Vargas, 227 Centro histórico de São João del Rei MG próximo à várias pousadas, restaurantes etc.
Mais sobre o artista em www.carloscalsavara.com.br

Restam poucas vagas!
Informações pelo email

contato@carloscalsavara.com.br

Fonte: Carlos Calsavara

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Concerto no Museu do Oratório



Marque em sua agenda! 
Museu do Oratório comemora aniversário de Ouro Preto com concerto. 
No dia do descobrimento da cidade, 24 de junho, sábado, às 18 horas, Maurício Freire (flauta) e Elisa Freixo (cravo) se apresentam na sede do Museu . 

O concerto é gratuito. As entradas podem ser retiradas, na sede do Museu do Oratório, a partir do dia 21 de junho (quarta-feira), das 9h30 às 17h30. #museudooratorio #ouropreto

Fonte: Museu do Oratório

I SEBECUI - 1º SEMINÁRIO DE BENS CULTURAIS DA IGREJA - DIOCESE DE DIVINÓPOLIS






1º SEMINÁRIO DE BENS CULTURAIS DA IGREJA - SEBECUI - DIOCESE DE DIVINÓPOLIS
Associação Com. e Industrial de Itapecerica - Itapecerica, MG
25 de julho de 2017, 19h - 28 de julho de 2017, 13h



OBJETIVO DO SEMINÁRIO

O objetivo principal deste 1º Seminário de Bens Culturais da Igreja – “Preservar para Evangelizar” é motivar sempre e cada vez mais os responsáveis e envolvidos por preservar o vasto e precioso patrimônio religioso da Igreja – principalmente padres e seminaristas da Diocese de Divinópolis e das Dioceses da Província de Belo Horizonte - como objeto para a evangelização, expresso dos átrios de nossas Igrejas às suas sacristias e capelas, nos seus arquivos e documentos históricos (bens materiais) e as riquezas das expressões devocionais e de vasto acervo musical (patrimônio imaterial), que evangelizam o povo de Itapecerica nestes 260 anos de criação da Paróquia de São Bento.


PÚBLICO ALVO


O Seminário tem como público alvo os presbíteros e seminaristas da Diocese de Divinópolis e das Dioceses da Província de Belo Horizonte; Secretários de Cultura e a rede de Educação formal de nosso município e das cidades da Diocese de Divinópolis, os que lidam diretamente nos espaços sagrados, as autoridades e todos os que se interessam pela arte sacra e pela sua preservação em vista da evangelização.


PROGRAMAÇÃO DO SEMINÁRIO


25 DE JULHO, TERÇA-FEIRA (abrindo o Festival de Inverno)

19:00 - Missa solene na Igreja de São Francisco (Padre João Luiz Moreira, administrador paroquial e Padre Helton Ferreira Rodrigues, mestre em Bens Culturais e assessor técnico do Seminário).

26 DE JULHO, QUARTA-FEIRA

07:30 - A linguagem dos sinos (repique).

08:00 - Missa solene na Matriz (Dom Gil Antônio Moreira). Após a missa, café na ACI

09:30 - Abertura oficial do Seminário. Composição da Mesa (autoridades presentes).
09:45 - Mensagem e cumprimentos do Sr. Secretario de Cultura do Estado de Minas Gerais - Sr. Angelo Osvaldo


10:10 - Palestra com Dom Gil Antônio Moreira, Arcebispo Metrolitano da Arquidiocese de Juiz de Fora e Bispo referencial da Comissão Episcopal para a Comunicação Social (Setores Comunicação Social e Ensino Religioso Escolar) ; Vice Presente da Comissão Regional Leste II para os Bens Culturais da Igreja. Logo após, na Matriz de São Bento, visita guiada por Dom Gil. (Carga Horária – 1h45min.)

11:45 - Encerramento das atividades.

12:00 - Almoço.

14:00 - Palestra com Pe. Helton Ferreira Rodrigues, “O que é um bem cultural?”. (carga horária – 2h)

16:00 - Coffe break .

16:30 - Visita guiada (Igreja do Rosário).

19:00 - Apresentação a Comissão de Arte Sacra da Diocese de Divinópolis.

27 DE JULHO, QUINTA-FEIRA

08:00 - Missa na Matriz de São Bento. Após a missa, café na ACI.

09:30 - Palestra com Pe. Helton Ferreira Rodrigues, “Conservação, preservação, valorização”. (carga horária – 2h)

11:30 - Encerramento das atividades.

12:00 - Almoço.

14:00 - Palestra com Pe. Helton Ferreira Rodrigues, “As Comissões de Bens Culturais da Igreja: formação e missão”. (carga horária – 2h)

16:00 - Coffe break.

16:30 - Visita guiada (Igreja de São Francisco).

À noite: Apresentação Cultural (conforme programação do Festival de Inverno).

28 DE JULHO, SEXTA-FEIRA

08:30 - Missa na Igreja de Nossa Senhora das Mercês. Após a missa, café na ACI.

09:30 - Plenário.

10:30 - Propostas concretas, projetos, comunicados, avaliação.

11:00 - Palavra final, agradecimentos e encerramento.

12:00 - Almoço de confraternização (Hotel Fazenda Palestina).


INFORMAÇÕES IMPORTANTES

Hospedagem e alimentação: será por conta do participante.

O café da manhã no local do evento e o almoço de encerramento no Hotel fazenda Palestina são cortesias do 1º. SEBECUI.

SUGESTÕES DE HOSPEDAGEM

Grande Hotel Ita - Praça Dom José Medeiros Leite ,219 centro - Tel. 37- 3341- 1186 (dormitório)

Hotel fazenda Capetinga - Telefone 37 – 99987.8810 – Site : www.fazendacapetinga.com.br

Hotel Fazenda Palestina - Telefone 37 – 3341.1106 – Site : www.hotelpalestina.com.br

ECO Hotel – Rua Vigário Antunes no. 27 – Centro - (37) – 3341.2862 (Somente dormitório)


Educandário São João Batista – Praça São Bento 72 - 37 – 3341 1211 (dormitório - coletivo)

Sobre o produtor

Paróquia de São Bento de Itapecerica - MG


No ensejo de valorizar o Patrimônio Religioso de Itapecerica – MG, nesta parceria se unem: Mitra Diocesana de Divinópolis - Paróquia São Bento com a sua Comissão para os Bens Culturais da Igreja, a FAPAM – Faculdade de Pará de Minas e a Prefeitura Municipal de Itapecerica através da Secretaria Municipal de Cultura e a participação da Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais.


Local

Associação Com. e Industrial de Itapecerica
Avenida Ribeiro Pena, 43, Centro
Itapecerica, MG
Fonte: Sympla e  Diocese de Divinópolis - MG 

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Iphan divulga informações sobre incensário e obras de arte desaparecidas

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) divulga o desaparecimento dos bens culturais descritos abaixo:



Turíbulo da Igreja e Convento de Nossa Senhora do Carmo, em Salvador – BA

Foi furtado da Igreja e Convento de Nossa Senhora do Carmo, em Salvador – BA um turíbulo (incensário religioso) de prata, com 26 cm de altura, 16 cm de diâmetro e 1,3 quilo de peso. O bem é tombado pelo Iphan e seu número de tombamento é BA/99-0153.1161.

Bens artísticos peruanos
Em colaboração com o governo do Peru, o Iphan também divulga o roubo de bens artísticos da família Lámbarria Origuela, na casa Fazenda Huayaccari, do Distrito de Huayllabamba, na província de Urubamba em Cusco, Peru, em 11 de agosto de 1991.

Fiquem atentos. A receptação de bem roubado é crime, conforme o artigo nº 180 do Código Penal brasileiro.

Caso tenham informação sobre essas obras, entrem em contato com o Iphan (cnart@iphan.gov.br).


Objeto


Turíbulo (incensário religioso) de prata, com 26 cm de altura, 16 cm de diâmetro e 1,3 quilo de peso

Proprietário/Local

Igreja e Convento de Nossa Senhora do Carmo, em Salvador (BA)

Tombamento

BA/99-0153.1161


Data do desaparecimento8

8 de maio de 2017


Arquivos Ficha do Inventário Nacional de Bens móveis e integrados e Boletim de Ocorrência





Objeto

Pinturas

Proprietário
Família Lámbarria Origuela. Subtraído da casa Fazenda Huayaccari, do Distrito de Huayllabamba, na província de Urubamba em Cusco, Peru

Data do desaparecimento

11 de agosto de 1991

Arquivos

Alerta Virtual de Robo de Bienes Culturales 062-2017-DGDP-VMPCICMC


Obras furtadas no Peru



Virgen Inmaculada

Fonte: IPHAN

terça-feira, 20 de junho de 2017

I Congresso Nacional para Salvaguarda do Patrimônio Cultural


Divulgação do I Congresso Nacional para Salvaguarda do Patrimônio Cultural

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT-Cuiabá) e o CICOP-Brasil convidam profissionais e alunos de graduação para o “I Congresso Nacional para Salvaguarda do Patrimônio Cultural: Fronteiras do Patrimônio”. 

Pela primeira vez a UFMT vai sediar um congresso de nível nacional relativo ao assunto da preservação do patrimônio cultural. Trata-se de uma oportunidade de reunir especialistas sobre o assunto nesta universidade, de fomentar o debate regional - além do nacional - e de dar visibilidade ao patrimônio cultural desta vasta região que, embora já reconhecido pelo Iphan, ainda é pouco difundido em nível nacional.

Em resumo, o congresso irá discutir limites e fronteiras – subjetivas e físicas -, possibilidades, experiências e o futuro da salvaguarda do patrimônio cultural no Brasil, seja para fortalecer identidades, como também favorecer uma visibilidade mais democrática do patrimônio de regiões fronteiriças e distantes dos centros de maior visibilidade do país. Salientamos ainda que em 2017 se comemora o 80º. aniversário do Iphan, ocasião propícia para ampliar, no território e no tempo, os debates sobre a salvaguarda do patrimônio cultural.

Serão abordados os modos de criar, fazer e viver; as criações científicas, artísticas e tecnológicas; as obras, objetos, documentos, edificações e demais espaços destinados às manifestações artístico-culturais; os conjuntos urbanos e sítios de valor histórico, paisagístico, artístico, arqueológico, paleontológico, ecológico e científico.

Linha Temática 01 – Patrimônio Como Política: gestão, políticas e programas públicos e ações privadas.
Linha Temática 02 – Patrimônio Como Paisagem: paisagens culturais e lugares de memória; patrimônio imaterial e a ressignificação da paisagem.
Linha Temática 03 – Patrimônio Como Projeto: projetos ou considerações sobre restauro, conservação, reabilitação ou requalificação do espaço urbano e do edifício.

PALESTRANTES
Profª. Drª Beatriz Piccollotto Siqueira Bueno, Universidade de São Paulo, Brasil
Prof. Dalmo Vieira Filho, Universidade Federal de Santa Catarina
Profª. Drª Iris Kantor, Universidade de São Paulo, Departamento de História, SP
Profª. Drª. Lia Motta, Iphan, Copedoc/DAF/RJ
Prof. Dr. Nivaldo Vieira de Andrade Junior, Universidade Federal da Bahia
Profª. Drª. Rosio Fernandez Baca Salcedo (UNESP, CICOP Brasil)
Profª. Vera Baggetti e Zuleica de Arruda (profissionais estudiosas especialistas na cultura da região de Mato Grosso)

Título
I Congresso Nacional para Salvaguarda do Patrimônio Cultural

Tipo
Evento

Website
https://cicop2017ufmt.wixsite.com/cicop

Organizadores
Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Mato Grosso (FAET-UFMT) e o Centro Internacional para a Conservação do Patrimônio (CICOP/Brasil)

De
03 de Outubro de 2017, 09:00

Até
07 de Outubro de 2017, 21:00

Onde
Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT)

Endereço
Av. Fernando Corrêa da Costa, nº 2367 - Bairro Boa Esperança. Cuiabá - MT

Fonte:Arch Daily

domingo, 18 de junho de 2017

Igrejas centenárias de Florianópolis farão parte do Livro “Floripa, sua Linda!”


As igrejas centenárias de Florianópolis farão parte do livro de aquarelas criado pela arquiteta e artista, Gabriela Luft. A Catedral Metropolitana, as igrejas de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito e a de São Francisco, localizadas no centro de Florianópolis, a da Nossa Senhora da Lapa, no Ribeirão da Ilha, a da Nossa Senhora das Necessidades, em Santo Antônio de Lisboa, a de Nossa Senhora de Fátima, no Estreito, e a de Sant’Anna, na Armação, são alguns exemplos de igrejas que foram transformadas em aquarelas, pela artista natural da cidade.

O projeto criado pela artista, sob o título de “Floripa, sua Linda!”, retrata aproximadamente 250 aquarelas dos pontos turísticos da cidade, como praias, igrejas, praças, fortalezas, casario e monumentos e será transformado em livro com previsão de lançamento para março de 2018, no aniversário de Florianópolis no próximo ano. “O livro é uma homenagem para a nossa querida cidade, onde busco interpretar de acordo com minhas vivências e experiências, a essência destes locais”, ressalta Gabriela. A artista salienta que o projeto também é uma forma de resgatar o patrimônio histórico da cidade.
Serão produzidos três mil livros, sendo 500 deles com edição especial para deficientes visuais, através do incentivo da Lei Rouanet e da Lei Municipal de Cultura de Florianópolis.

Programação da exposição

As aquarelas vão estar em exposição no mês de outubro, no Espaço Cultural do BRDE, em Florianópolis (Avenida Hercílio Luz, 617, Centro), e na ocasião do lançamento do livro, em março de 2018, sem local definido ainda.





















Por Francelise – Assessoria da artista
Fonte: Arquidiocese de Florianópolis

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Americana (SP) apresenta projeto de restauração da Igreja Matriz


Por Defender |


Projeto de restauração da Igreja Matriz de Americana foi apresentado pela Basílica Santuário Santo Antônio de Pádua. (Foto: Clayton Padovan)

A Basílica Santuário Santo Antônio de Pádua , em Americana (SP), apresentou nesta sexta-feira (2) projeto de restauração da Igreja Matriz, que está estimado em R$ 2,2 milhões. O documento foi protocolado no Ministério da Cultura e agora depende de aprovação para ser viabilizado por meio da Lei Rouanet.

Para ajudar no projeto, no início deste ano, a Basílica lançou a campanha “Retratos da História”. Com a ajuda da população, a igreja conseguiu resgatar documentos que ajudaram na elaboração do trabalho de restauração do prédio de 1897.

Além da importância histórica, a restauração também resolverá problemas estruturais na igreja, que desde o ano passado está fechada.

Etapas

A análise no Ministério da Cultura deve demorar 90 dias, segundo a Basílica. Após a aprovação, a primeira fase das obras contemplará toda a parte estrutural.

Já a segunda etapa será voltada para as pinturas artísticas, o piso de ladrilho hidráulico e o paisagismo, mas ainda não há previsão de gastos.

Campanha

Em fevereiro, a Basílica Santuário Santo Antônio de Pádua lançou uma campanha para recuperar fotos antigas da Igreja Matriz de Americana. A iniciativa, chamada “Retratos da História”, pretendia resgatar documentos que ajudassem na elaboração do projeto de restauração do prédio histórico.

Na época, a arquiteta responsável pelo projeto técnico Juliana Binotti disse que as fotos iriam contribuir para o levantamento das características da primeira igreja do município, já que desde sua construção, ela passou por várias reformas. A última aconteceu em 1990.

Fonte original da notícia: G1 Campinas e Região

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Você sabe o que significam JHS e IHS?


Por Pe. Henry Vargas Holguín /


Tabernacle © Luis Andrade/Shutterstock

As letras têm dado lugar a várias interpretações - algumas erradas

O monograma IHS está em várias partes: escudos, altares, toalhas de mesa, portas de sacrários e até inscrito na hóstia. Também aparece o JHS, que tem a mesma denotação.

Mas qual é o significado dessas letras?

O monograma IHS é a transcrição do nome abreviado de Jesus em grego, Ιησούς (em maiúsculas, ΙΗΣΟΥΣ). O “J” corresponde à pronúncia do “I” na antiguidade, assim como o “V” era empregado como “U”.

As letras já deram lugar a várias interpretações. A única aceita é a abreviação da frase em latim: “Iesus Hominum Salvator” (Jesus Salvador dos Homens).

Algumas pessoas interpretam erroneamente as três letras como “Jesus Homem Salvador” ou “Jesus Hóstia Santa”.

O monograma foi adotado por Santo Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus, como emblema dos jesuítas. O papa Francisco, membro dos jesuítas, tem este monograma em seu escudo episcopal.

Fonte: Aleteia

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Siena dal '200 al '400 - La collezione salini



Uma viagem na arte de Siena ao longo de três séculos. De 15 de junho a 15 de setembro, o Palácio Publico, na praça do campo em Siena abrigará a coleção salinas: 150 obras-Primas dedicados aos grandes mestres da arte de Siena. Info em www.sienadal200al400.it

Fonte: Siena dal '200 al '400

O Corpus Christi no Museu da Humanidade



O FERIADO DE CORPUS CHRISTI NO MUSEU DA HUMANIDADE

Dia 15 de Junho das 16 as 19 h o Museu da Humanidade inaugurará uma nova fase nas suas atividades educacionais e culturais . A partir desta data a instituição receberá o Prof Blonsom Faria que assume a pasta do Setor de Ensino e coordenara aulas, cursos e atividades educacionais para alunos e professores .

Toda essa programação será uma preparação para os cursos de extensão e de Pós Graduação que iremos organizar a partir de 2018 

Para o dia 15 teremos as seguintes palestras:


1) O CORPO DE CRISTO NA HISTÓRIA DA ARTE , de Blonsom Faria
Sinopse:
O corpo de Jesus Cristo vem sendo representado de diversas maneiras na História da Arte Ocidental.
O professor e arquiteto Blonsom Faria, especialista em Arte Barroca, vai apresentar uma reflexão de como o "Corpus Christi" vem sendo apresentado nas produções artística, das narrativas estéticas de cada período e das conjecturas sociais


2) MEMENTO MORI - a ARTE DE MORRER DO EGITO AOS NOSSOS DIAS
, de Claudio Prado de Mello


As reservas podem ser feitas pelo email pradodemello@hotmial.com


Fone : (21) 99188 4880

Confere-se certificados de Horas Culturais

Contribuição de RS 15,00 ( incluindo lanche ao final)

A DATA DE CORPUS CHRISTI
Corpus Christi (expressão latina que significa Corpo de Cristo) é um evento baseado em tradições católicas realizado na quinta-feira seguinte ao domingo da Santíssima Trindade, que, por sua vez, acontece no domingo seguinte ao de Pentecostes. 


A Festa de “Corpus Christi” é a celebração em que solenemente a Igreja comemora o Santíssimo Sacramento da Eucaristia; sendo o único dia do ano que o Santíssimo Sacramento sai em procissão às nossas ruas. Nesta festa os fiéis agradecem e louvam a Deus pelo inestimável dom da Eucaristia, na qual o próprio Senhor se faz presente como alimento e remédio de nossa alma. A Eucaristia é fonte e centro de toda a vida cristã. Nela está contido todo o tesouro espiritual da Igreja, o próprio Cristo.
A origem da Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo remonta a IDADE MÉDIA ( século XIII ). 


A Eucaristia é um dos sete sacramentos e foi instituído na Última Ceia, quando Jesus disse: "Este é o meu corpo... isto é o meu sangue... fazei isto em memória de mim". Segundo Santo Agostinho, é um memorial de imenso benefício para os fiéis, deixado nas formas visíveis do pão e do vinho. Porque a Eucaristia foi celebrada pela primeira vez na Quinta-Feira Santa, Corpus Christi se celebra sempre numa quinta-feira após o vinho sangue de Jesus Cristo, em toda Santa Missa, mesmo que esta transformação da matéria não seja visível.


Corpus Christi é celebrado 60 dias após a Páscoa, podendo cair, assim, entre as d
atas de 21 de maio e 24 de junho.

Fonte: Claudio Prado Mello

terça-feira, 13 de junho de 2017

I Mostra de Arte Sacra em Conceição do Mato Dentro - MG

I MOSTRA DE ARTE SACRA 



Amanhã, às 09:00 da manhã, acontecerá a Solenidade de Inauguração da I Mostra de Arte Sacra do acervo da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, no Paço Municipal.

Venha prestigiar a mostra e viva uma experiência de cultura, tradição e fé.

Fonte: Prefeitura Municipal de Conceição do Mato Dentro

Quer publicar um artigo?




Revista Restauro é voltada à publicação de artigos originais, entrevistas, resenhas e notícias que tenham como foco as ações de preservação, conservação e restauro do patrimônio cultural, abarcando artefatos artísticos, museológicos, arquitetônicos e urbanos. O intuito da revista é ampliar o debate e a difusão do tema para um público mais amplo, além da área técnica e acadêmica, motivo pelo qual buscamos zelar por uma linguagem fluida e acessível.
A seguir, enumeramos as informações necessárias para a submissão de artigos, bem como os procedimentos adotados para avaliação e publicação. Sugerimos aos autores que consultem a nossa Apresentação, a fim de obter maiores informações sobre as seções que compõem a revista.
Todas as colaborações recebidas serão apreciadas pela Comissão Editorial que verificará a adequação temática ao escopo da revista e o atendimento das condições para submissão. Os textos serão, ainda, submetidos à avaliação cega de pareceristas ad hoc, que poderão recomendar:
a) a aprovação para publicação sem restrições;
b) a reapresentação do artigo após o atendimento das modificações sugeridas;
c) a não aprovação do artigo.
Serão aceitas contribuições nas seguintes línguas estrangeiras: espanhol, inglês, francês e italiano. Os artigos em língua estrangeira serão publicados no idioma original e, sempre que possível, também traduzidos para o português.
A critério da Comissão Editorial, os originais poderão ser submetidos à revisão gramatical e ortográfica e à adequação aos padrões de formatação, respeitando-se o estilo e as ideias dos autores. Os artigos publicados ficarão disponíveis online por tempo indeterminado.
Os autores deverão conceder à revista os direitos de primeira publicação do artigo, que atenderá, a partir de então, à Licença Creative Commons Attribution, que permite o compartilhamento do trabalho futuramente, com reconhecimento e indicação da autoria e da publicação inicial pela Revista Restauro.
Não será cobrada nenhuma taxa para submissão ou publicação, assim como não haverá remuneração aos autores colaboradores. A Revista não se responsabiliza pelo teor das análises, opiniões ou ideias expressas pelos autores nos artigos publicados.
Condições para submissão de artigos
Os autores deverão observar atentamente todos os itens a seguir. As contribuições que não seguirem as normas abaixo não serão publicadas.
1. O artigo é original, inédito e não está sendo submetido para publicação em outra revista;
2. O arquivo deve estar em formato DOC, DOCX, ODT ou RTF. Não serão avaliados textos enviados em formato PDF;
3. Figuras e fotografias devem ser enviadas em arquivos separados, no formato JPG, com até 2Mb e resolução de 300dpi. Recomendamos não ultrapassar a quantia de 10 (dez) imagens. A Revista poderá solicitar a redução do número de imagens, caso necessário;
4. O texto deve ser apresentado na seguinte formatação:
Fonte Times New Roman, 12 pt, espaçamento 1,5, margens 2,5 cm (superior, inferior, esquerda e direita), cerca de 15 mil caracteres (com espaços).
5. Os artigos devem seguir a seguinte estrutura:
Título; autor(es), texto; notas no final do texto (informativas e bibliográficas); breve apresentação do(s) autor(es) (titulação, vínculo institucional, apoio financeiro, e-mail). Todas as referências bibliográficas devem ser indicadas em nota, ou seja, não deve ser utilizado o sistema autor-data. Recomendamos que as notas explicativas, quando necessárias, sejam sucintas e objetivas. Não deve ser utilizado o sistema de inserção de notas de rodapé do Word ou de outros editores de texto, deve-se digitar as notas no final do texto principal:
Exemplo:
Segundo José Reginaldo Santos Gonçalves, nas narrativas da política patrimonial brasileira, as cidades mineiras assumem o papel de espaços simbólicos “por meio dos quais uma narrativa histórico-política e cultural ou artística ganha coerência e autenticidade”[1].
Notas
[1] GONÇALVES, J. R. S. A retórica da perda. Rio de Janeiro: UFRJ, MinC, Iphan, 2002, p.118.
6. A formatação das referências bibliográficas deverá seguir os modelos abaixo:
Livro:
SOBRENOME, Nome. Título em itálico: subtítulo sem itálico. Tradução, edição, Local de publicação: Editora, ano.
CARBONARA, Giovanni. Avvicinamento al restauro: teoria, storia, monumenti. Napoli: Liguori, 1997.
ABREU, Regina; CHAGAS, Mário (orgs.). Memória e patrimônio: ensaios contemporâneos. Rio de Janeiro: Lamparina, 2009.
Capítulo de livro:
SOBRENOME, Nome do autor do capítulo. Título do capítulo: subtítulo. In: SOBRENOME, Nome do autor do livro. Título do livro: subtítulo. Local de publicação: Editora, ano, p.x-y.
CRUZ, António João. O restauro de pintura em Portugal no tempo de Luciano Freire. In: CUSTÓDIO, Jorge (org.). 100 anos de património: memória e identidade. Portugal 1910-2010. Lisboa: IGESPAR, 2010, p.117-122.
Artigos em periódicos:
SOBRENOME, Nome. Título do artigo: subtítulo. Nome da revista em itálico, local de publicação, volume, número ou fascículo, p.x-y, ano.
KÜHL, Beatriz Mugayar. Notas sobre a Carta de Veneza. Anais do Museu Paulista, São Paulo, v.18, n.2, p. 287-320, 2010.
ANDRADE, Rodrigo Melo Franco de. O patrimônio histórico e artístico e a missão da Universidade. Revista do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Brasília, n.31, p.82-87, 2005.
Artigos em periódicos eletrônicos:
SOBRENOME, Nome. Título do artigo: subtítulo. Nome da revista em itálico, local de publicação, volume, número ou fascículo, p.x-y, ano. Disponível em: <http://www…> Acesso em: xx/yy/2016.
LUZ, José A. Medeiros da; BALAREZO, Francisco J. Montenegro; PEREIRA, Carlos Alberto. Emprego de argamassa expansiva e termo consolidação de peças em cantaria.Rem: Revista Escola de Minas, Ouro Preto, v.56, n.3, p.161-167, 2003. Disponível em:http://www.scielo.br/pdf/rem/v56n3/v56n3a03.pdf. Acesso em: 11/07/2016.
Artigos em anais de eventos:
SOBRENOME, Nome. Título do artigo: subtítulo. In: Dados do evento em itálico, local de publicação, volume, número ou fascículo, p.x-y, ano.
MARTÍNEZ, Hernández Ascensión. El arquitecto Fernando Chueca Goitia y la restauración monumental en España en la segunda mitad del siglo XX. In: Livro de Atas do Congresso Internacional De Viollet-Le-Duc à Carta de Veneza: teoria e prática do restauro no espaço ibero-americano, Lisboa, LNEC, p.339-346, 2014.
Teses ou dissertações:
SANT’ANNA, Márcia. A cidade-atração: a norma de preservação de centros urbanos no Brasil dos anos 90. Tese de Doutorado. Salvador: FAUFBA, 2004.
Legislação:
BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988.
SÃO PAULO (Estado). Decreto n. 13.426 de 16 de março de 1979.
7. As imagens (fotos, gráficos, figuras, croquis, tabelas etc.) devem ser identificadas numericamente, indicadas no corpo do texto (Fig.1) e devidamente legendadas. O autor deve se certificar de que as imagens utilizadas não possuem restrições quanto aos direitos autorais. Imagens sem indicação de fonte não serão publicadas. Exemplos de legendas:
Fig.1. Foto da cobertura do edifício (fonte: Arquivo Histórico Municipal)
Fig. 2. Tabela dos bens tombados no Estado de Pernambuco (fonte: Arquivo Noronha Santos, portal eletrônico do IPHAN)
8. O autor deve realçar em amarelo todas as referências, ao longo do texto, que possam indicar a autoria. Para envio aos pareceristas, a Revista criará uma versão PDF do texto, omitindo as palavras destacadas, de modo a assegurar a avaliação cega;
9. Os autores cujos artigos forem selecionados deverão assinar a Declaração de Responsabilidade e de Cessão de Direitos Autorais, conforme modelo a ser fornecido pela Comissão Editorial.
Política de Privacidade
Os nomes e endereços submetidos a esta Revista serão usados exclusivamente para os serviços prestados por esta publicação e não serão disponibilizados para outras finalidades ou a terceiros.
E-mail para envio dos artigos
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...